SARA – A grande matriarca de Israel.



“O Senhor visitou Sara, como tinha prometido, e cumpriu o que tinha dito. Ela concebeu, e deu à luz um filho na sua velhice (Gênesis 21,1-2)”

Sara foi a primeira matriarca do povo judeu, a tradição conta que, por volta do ano 1900 a.C., ela casou-se com o grande patriarca Abraão em Ur, principal porto da Mesopotâmia. Incrivelmente bela, ela deixou a cidade, localizada no atual Iraque, rumo a Canaã, que era como se chamava a Palestina.

De sua descendência teria surgido o povo de Israel. Uma lenda conta que a matriarca Sara milagrosamente amamentou todos os bebês das famílias de hebreus notáveis, quando seus mamilos esguicharam leite como jarros de água.
Essa história alude a principal característica de Sara, que é a de ser mãe de todo um povo, em outras palavras, é ela que amamenta e faz a vida proseguir.

Sempre ao lado de Abraão, Sara fez de sua vida uma longa jornada, o que estava de acordo com a rotina dos povos nômades que viviam de rebanhos. Suas viagens são narradas no Corão, na Torá e no Antigo Testamento.
Os textos contam que, em uma das muitas secas comuns na região de Canaã, ela, Abraão e seu clã rumaram para o Egito.

A chegada a essa região ganha contornos intrigantes nas lendas judaicas escritas entre os séculos 2 d.C. e 5 d.C., os midrashs.
Como Sara era muito bonita, afirma a narrativa, Abraão a colocou dentro de um grande baú para que os egípcios não a vissem, temendo os efeitos que sua beleza poderia causar. Desconfiados de que havia algo muito valioso ali e interessados no tributo que aquela mercadoria poderia proporcionar, os egípcios mandaram o patriarca abrir o baú para calcular o imposto. Quando o funcionário abriu a caixa, todo o Egito é iluminado pela beleza radiante de Sara, diz a lenda.


NA COMPANHIA DO FARAÓ


Quando Sara põe os pés naquele reino, sua beleza a tornou famosa em toda a nação, e o faraó pediu para passar uma noite com ela. A Bíblia não é clara quanto ao que ocorre nesse momento.
Depois disso, Sara ganhou uma escrava de presente. Era Agar (próxima biografia), que seguiu junto com ela para a Palestina.
Quando chegou aos 90 anos, Sara se viu desesperada e sem filhos. Era imperativo garantir a descendência de Abraão.
Seguindo um costume muito usual na época, ela pediu que sua escrava Agar tivesse uma noite de amor com Abraão para conceber um filho dele.
Dessa união nasceu Ismael, o patriarca do povo árabe. Sara é importante para o Islamismo (que comporá a série DOSSIÊ – RELIGIÕES em breve) porque ela facilitou o encontro de Agar e Abraão.
Aos 99 anos, Sara e seu marido, Abraão, receberam uma mensagem divina: “Darei a ti e a tua prosperidade toda a terra de Canaã, em possessão eterna, e serei o seu Deus”.
Sara, então, finalmente engravida e dá à luz Isaac, o primeiro judeu de fato da História, que é circuncidado em seu oitavo dia de vida.
A profecia do senhor é cumprida. Desse momento em diante, tanto Sara como Abraão seguem os passos de Deus, e só dele.
De acordo com a Bíblia, a matriarca morreu com 127 anos e seu marido, aos 175. Esses números significam que Sara e Abraão tiveram uma longa bênção de Deus.   


SARA AMAMENTA POR MILAGRE – O leite da matriarca nutriu os bebês das famílias importantes.


A graça divina com que Sara foi tocada não tinha limites. Conta uma lenda rabínica que seu leite foi suficiente não só para alimentar seu filho, Isaac, mas também para amamentar todos os bebês das famílias importantes dos hebreus.
Foi um grande milagre. Segundo a Bíblia, Sara tinha 90 anos quando deu à luz. No dia em que Isaac foi desmamado, Abraão resolveu oferecer um banquete aos seus amigos e vizinhos.
Mas os convidados riram dele, dizendo: “Olhem só esse velho e essa velha, pegaram uma criança na rua e agora dizem que é filho deles, e ainda têm a audácia de fazer uma festa para deixar clara a sua pretensão”.
O patriarca então convidou à sua casa as famílias dos notáveis. Cada mulher levou seu bebê, sem a ama-seca. Foi nesse momento que aconteceu o milagre. Os mamilos de Sara esguicharam leite como se fossem dois grandes jarros de água, e assim ela foi capaz de alimentar todas aquelas crianças, diz a lenda.
Mas nem assim as pessoas se deram por satisfeitas, é sabido que uma língua ferina é mais amolada que uma adaga.
Mesmo concordando que Sara era a mãe de Isaac, os convidados achavam estranho Abraão ser pai aos 100 anos de idade. Aconteceu então um novo milagre para calar a boca dos alcoviteiros de plantão.


Repentinamente o rosto de Isaac assumiu as feições de seu pai. Todas as pessoas então gritaram em uníssono: Abraão de fato é o pai de Isaac!


0 comentários:

Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por mim (Randerson Figueiredo) antes de serem publicados. Não serão aprovados os comentários:
- não relacionados ao tema do post;
- com pedidos de parceria;
- com propagandas (spam);
- com link para divulgar seu blog;
- com palavrões ou ofensas a pessoas e situações;

OBS: Se você caro leitor quiser material deste blog para pesquisa ou outra finalidade basta entrar em contato comigo preenchendo o formulário que fica na parte superior no canto direito desta página com o nome FORMULÁRIO DE CONTATO, que o mais rápido possível entrarei em contato com você.