EVA – a primeira mulher do mundo.



Graças a Eva, hoje podemos trabalhar, experimentar as dores e as alegrias da vida. Ela nos deu o livre-arbítrio para fazer o que quiser com nossa sensualidade e com nosso destino. Contudo, apesar de ter promovido todas essas benesses para a raça humana, Eva não é louvada.
Pelo contrário, considerada na Bíblia, na Torá e no Corão como a primeira mulher e a mãe da humanidade, ela foi duramente condenada ao longo da história. No imaginário popular, Eva tornou-se responsável por todos os males do mundo ao entregar a maçã do pecado para Adão, uma espécie de caixa de pandora do Antigo Testamento, resumindo, ela é um marco negativo na tradição judaico-cristã.
Aprofundando mais o tema, a relação que quero estabelecer é que seu mito ajudou a perpetuar a sociedade patriarcal, culpando as mulheres pelas desgraças do mundo.
Eva aparece já no segundo capítulo do livro bíblico do Gênesis. Embora vários religiosos acreditem na sua existência, para muitos estudiosos ela é uma personagem fictícia, e essa é uma das questões que pretendo discutir nesta postagem, dentre outros questionamentos.
O mito conta que, quando Eva foi criada, Adão dormia profundamente e nem sentiu Deus transformar uma de suas costelas em mulher. Adão disse assim: “Esta sim é osso de meus ossos e carne da minha carne”.
Em seguida, Eva ouviu a serpente e saboreou o fruto da árvore do bem e do mal. Ao oferecer o mesmo a seu parceiro, os dois “abriram os olhos e perceberam que estavam nus; entrelaçaram folhas de figueira e fizeram cintas para si” (Gênesis 3,7).
A história de Eva embora curta permite múltiplas interpretações, eis o verdadeiro motivo de ser a última biografada da série Mulheres – de Eva a Madalena, já que as vertentes históricas e teológicas compreendem muitas interpretações.
Em uma delas, o homem é tido como o elemento decisivo para perpetuar a vida, quando a observação deixa claro que é a mulher quem guarda o feto no ventre e dá à luz. Além disso, Eva foi criada quando Adão estava inconsciente, essa afirmação que acabo de fazer formula a idéia que o homem é fraco e confuso ao lidar com mulheres, o que explica seu consentimento em comer o fruto.
Sei que muitas perguntas irão surgir no decorrer deste post, como por exemplo: existiram Adão e Eva? A mulher foi tirada da costela de Adão? O que significa no Gênesis: a árvore, a maçã e a cobra? Qual foi o pecado de Adão e Eva? Onde era o paraíso? Se Adão e Eva formavam o único casal no começo do mundo, então quer dizer que Caim casou-se com sua irmã?
Não sou teólogo, mas fui atrás das pistas desta história e descobrir os fatos, fantasiosos ou não, em uma visão que vocês já conhecem bem e que marca o estilo deste blog: uma visão investigativa. Boa leitura.

EXISTIRAM ADÃO E EVA?

É uma das perguntas mais insistentes que se faz no catecismo e creio que também nos cursos bíblicos. E ela puxa outra: quem é que garante que eles formavam o primeiro casal? Não haveria outros casais? E já que eles formavam o primeiro casal, com quem se casaram os filhos deles?
A pergunta merece ser feita porque nem todos tem a possibilidade de estudar mais afundo a Bíblia, que é uma coleção de livros que deve não somente ser folheada em uma bela tarde de sábado mas deve ser estudada com dedicação.
Se verificarmos o texto, a Bíblia está falando de um casal, certo? Errado.
A Bíblia está falando do Homem e da Mulher. É o jeito do autor falar. No início diz ele, Deus fez o homem e a mulher, ou seja: a raça humana teve um começo, e obviamente isso ninguém pode negar, nem os mais ferrenhos negacionistas que circulam também neste meio virtual.
Que o homem se chamasse Adão e a mulher Eva, isso é relativo. Entenda que o autor do texto não está dando nomes próprios, mas coletivos, ele fala de coisas concretas e práticas. Vejamos da seguinte maneira, fica até mais apropriado falar desta forma do que se referir aos dois como: um primeiro homem ou uma primeira mulher.
Ele usou dois nomes que não são nomes próprios, e sim nomes muito concretos: Adão e Eva.
Na língua hebraica esses nomes têm significado e calhavam bem com a intenção do autor, pois observe: Adão = aquele que vem da terra, homem = húmus; Eva = aquela que dá vida.
Isso quer dizer que: o homem é criado, terreno, material = Adão; a mulher é terrena, material, criada e geradora da vida = Eva.
Portanto os nomes designam todo homem, toda mulher e não só o primeiro casal. Adão e Eva existiram como existem hoje o homem e a mulher, não necessariamente com nomes próprios.
Para arrematar este primeiro tópico, o texto ensina que o homem e a mulher tiveram começo e foram criados por Deus.

A mulher foi tirada da costela de Adão?

A formação do homem e da mulher é relatada na Bíblia não no estilo de reportagem jornalística, e sim no estilo de reflexão popular.
A criação do homem vem narrada na Bíblia duas vezes e de modos diferentes:
Gn 1,26-27: “Por fim Deus disse: ‘Façamos o Homem à nossa imagem, como nossa semelhança. Domine ele sobre os peixes do mar, sobre as aves do céu, sobre os animais domésticos, todos os animais selvagens e todos os répteis que rastejam sobre a terra’.
E Deus criou o homem à sua imagem; à imagem de Deus Ele o criou; homem e mulher Ele os criou”.
Gn 2,7:”Javé plasmou o homem, pó da terra, insuflou em suas marinas um sopro de vida, e o homem se tornou um ser vivo”.
A primeira narração afirma a dignidade do homem, seu aspecto espiritual, sua liberdade: ele é imagem e semelhança de Deus, isto é, ele corresponde ao modelo divino. Ele é imagem, pode relacionar-se com Deus, falar-lhe, ouvir-lhe a voz e até resistir ao chamado do Criador.
A segunda narração vem do povo. O povo é mais concreto e a narração salienta como podemos perceber, o aspecto físico, corporal, aquilo que se percebe.
Podemos inferir a partir do segundo texto a figura do oleiro: Deus também modela o homem; o homem é criatura de suas mãos, é feito de barro. Trata-se obviamente de uma metáfora, não que o homem foi feito a partir do barro, mas mostra que ele é frágil e o principal, sua dependência de Deus, portanto já que estou numa visão mais teológica, significa que o homem é como vaso de barro que se quebra facilmente.
E com relação ao fato da passagem “tirar da costela”?
Bem, a mulher de fato, não foi tirada da costela do homem, mas foi criada, como o homem por Deus. Por isso são iguais. Lembre-se que, o fato de ser costela ou não qualquer outra parte do corpo como por exemplo o cérebro, significa que a mulher não é nem inferior nem superior ao homem, mas está ali no limiar da igualdade, que simboliza a igualdade, pois a costela está no meio do corpo.
Portanto discutir de forma literal se a mulher foi tirada mesmo da costela de Adão é discussão sem fundamento, pois não devemos levar a Bíblia a ferro e fogo, não podemos nos esquecer que esta coleção de livros nos fala através de parábolas e metáforas, e aproveito para enfatizar que o fundamentalismo/fanatismo é extremamente prejudicial e alienável, basta observar as relações nada amistosas que ocorrem no Oriente Médio.


O que significa no Gênesis: a árvore, a maçã e a cobra?

São símbolos usados para atacar pela raiz o mal capital que existia no seu tempo, que seduzia e comprometia o seu povo: a tentação pelos ídolos. Essa tentação e esse pecado constituíam a causa de tantos outros males.
Para transmitir essa reflexão, o autor usa uma história, que é verdadeira: o mal existe e entrou no mundo através do próprio homem, e alguns elementos são usados para transmitir a verdade:
- A árvore – são citados dois tipos de árvore em Gênesis 3: a árvore do conhecimento do bem e do mal (v.5) e a árvore da vida (vv. 3 e 22).
Conforme o texto, o homem podia comer de todas as árvores, exceto da árvore do conhecimento do bem e do mal. Nesse dia morreria (Gên 2, 16-17). Vou apenas citar algumas passagens porque essa discussão filosófica é muito abrangente e requer um aprofundamento maior da Bíblia.
- A maçã – Esse símbolo é intrigante. A maçã não é mencionada neste texto bíblico. O texto fala de “fruto” (Gn 3,3.6). O costume de designar a maçã como o fruto proibido do paraíso, vem das pinturas bíblicas clássicas, que por sua vez traduzem a idéia de mitologia antiga na qual a maçã era o símbolo da tentação. Na Bíblia, essa tradição da mitologia antiga é também usada para designar a tentação do homem para o mal. No Gênesis, o fruto simboliza a eterna tentação do homem em não querer conhecer-se como criatura diante de Deus, mas comportar-se segundo suas vontades e inquietações. A conclusão é que: comer desse fruto é deixar Deus e seguir a si próprio, seguir imprudentemente o próprio caminho.
- As folhas da figueira e a nudez – Todos esses elementos pertencem ao mesmo quadro: a de uma burrada feita! Depois de ter comido do fruto proibido o homem percebeu imediatamente o mal que acabara de praticar; sentiu frustração por essa experiência mal sucedida e que lhe trouxera desilusão. Segue a passagem: As folhas da figueira e a nudez; o rumor dos passos de Deus e o esconder-se de Adão e Eva (Gn 3,78).        
 - A serpente – Aqui sabemos bem, a serpente personifica a tentação; é aquela inclinação quase que indomável que temos para o mal, aquela vontade de torcer para o vilão e não para o mocinho, em uma linguagem mais psiquiátrica, permitam-me aventurar nesse assunto: foi o que o Suíço Carl Jung classificou como a “sombra humana”. O lado sombrio que não queremos revelar a quem quer que seja.
Portanto o símbolo para essa má inclinação é a serpente. E a pergunta que todos nós fazemos: e porque a serpente?
Porque a serpente era o símbolo da religião de Canaã, país em que vivia também o povo de Deus. Essa religião não tinha muitos compromissos éticos;  era religião mágica, idolátrica e praticava a prostituição “sagrada” como sinal de perenidade da vida (1Rs 14,24; 15,12; 22;47; 2Rs 23,7).
E a serpente era o símbolo dessa religião; era o símbolo porque representava primeiramente o órgão sexual masculino, reprodutor da vida (emblema fálico), e depois porque soltando periodicamente sua pele e renovando-se sempre, a serpente tornava-se símbolo de vida eterna! Nada mais tentador não é verdade? Esses elementos entraram na mitologia e no folclore orientais.
Outra explicação mais simplista e não menos honrosa é que a serpente é considerada para todos os povos símbolo do mal; é traiçoeira, venenosa, enfim ela pode matar.

Qual foi o pecado de Adão e Eva?

Há muita gente que diz que o pecado de Adão e Eva foi pecado de ordem sexual.
Não é verdade, não está na Bíblia. Pelo contrário, a Bíblia diz que Deus criou o homem e a mulher e deu-lhes ordem para terem muitos filhos: “Sede fecundos e multiplicai-vos” (Gn 1,28).
A Bíblia não diz qual foi o pecado de Adão e Eva, e nem podia dizer, pois o primeiro pecado, ou pecado original, como queiram chamar embora possa ter acontecido não é aferível historicamente, ou seja, não pode ser comprovado com documentos.

O casal fora da Bílblia – os apócrifos falam de aventuras em uma barraca e em uma caverna.

Os textos apócrifos que não foram incorporados à Bíblia, enfatizam a culpa de Eva pelos males do mundo. Em A vida de Adão e Eva, o casal é expulso do Paraíso e passa sete dias de luto numa barraca. Eva reclamava de fome, mas Adão não encontrava alimento. Então resolveu jejuar 40 dias e mandou Eva isolar-se numa pedra como penitência. Satanás, disfarçado de anjo, a engana depois de 37 dias de jejum. “Eva chora, mas Adão se separa dela e a obriga dar à luz longe dele”.
Desesperada, pede misericórdia e os anjos dizem: “Tu és bendigna por causa de Adão”, e o casal vive junto novamente após o nascimento de Caim.
No texto Conflito de Adão e Eva com Satã, os dois são expulsos e vão habitar a Caverna dos Tesouros. Lá seus corpos luminosos e sutis se transformam em carne e osso e eles começam a sentir fome e sede.
Deus então promete libertá-los depois de 5500 anos.
Nessa jornada os dois morrem várias vezes, levados pelo desespero. Mas Deus os ressuscita e deixa claro que só retornarão à luz quando Cristo retornar.
Adão recebe do Senhor um trigal e aprende a fazer pão. O casal faz o primeiro altar de oferendas em agradecimento à comida. O Espírito Santo desce sobre eles em forma de línguas de fogo.    

 A caixa de Pandora – semelhanças com a história de Eva.

Eva está fortemente relacionada com o proibido e tem semelhança com personagens de outras culturas que também infringiram leis. Na tradição grega, Eva tem seu paralelo em Pandora, uma mulher irresistível que fora criada por Zeus para armar uma vingança. Ela recebeu o dom da palavra e da sedução e foi entregue como um presente a Prometeu, o benfeitor dos homens. Prevenido, ele não aceitou a bela mulher. Seu irmão, no entanto, já estava apaixonado e a recebeu.
Pandora, então abriu uma caixa misteriosa que continha diversos males, e os espalhou pelo mundo.
Enquanto Eva rompeu barreiras para descobrir o conhecimento, Pandora abriu a caixa proibida, permitindo ao ser humano escolher entre o bem e o mal.
A relação das duas é que ambas quebraram tabus e venceram barreiras para deixar algo para a humanidade
Sem esquecer de um importante detalhe: Pandora fechou a caixa antes que escapasse ESPERANÇA, que é o que nos resta para enfrentar as mazelas e dificuldades que aparecem.

Um comentário:

  1. Muito interessantes estas constatações acerca da existência de adão e Eva!
    Queremos agradecer sua visita ao Cordelirando e aproveitar o ensejo pra avisar que as "meninas" do STF estão de volta, rsrs! Desta vez o debate é sobre "Visão do STF sobre a Lei Eleitoral ou o Humor Autorizado"!
    Te esperamos para dar risada por lá!
    Abraços!
    Equipe Cordelirando

    ResponderExcluir

Os comentários passam por um sistema de moderação, ou seja, eles são lidos por mim (Randerson Figueiredo) antes de serem publicados. Não serão aprovados os comentários:
- não relacionados ao tema do post;
- com pedidos de parceria;
- com propagandas (spam);
- com link para divulgar seu blog;
- com palavrões ou ofensas a pessoas e situações;

OBS: Se você caro leitor quiser material deste blog para pesquisa ou outra finalidade basta entrar em contato comigo preenchendo o formulário que fica na parte superior no canto direito desta página com o nome FORMULÁRIO DE CONTATO, que o mais rápido possível entrarei em contato com você.